Evan Vucci/AP
Evan Vucci/AP

Medvedev acena para possíveis sanções a Teerã

Presidente russo, no entanto, defende que novas restrições não sejam 'paralisantes'

13 de abril de 2010 | 22h32

Asosciated Press

 

WASHINGTON- O presidente russo, Dmitri Medvedev, deu sinais nesta terça-feira, 13, de que pode apoiar uma nova rodada de sanções ao Irã. Segundo o líder, as potências mundiais terão de considerar sanções a menos que Teerã aja para mostrar a outros países que seu programa nuclear é pacífico.

 

Veja também:

linkObama pede que mundo seja 'audaz e veloz' em sanções contra Teerã

linkSarkozy quer que sanções ao Irã estejam prontas 'no mais tardar' até maio

 

"Se nada acontecer, nós teremos de lidar com sanções", disse. No entanto, Medvedev advertiu que não quer sanções severas: "Eu não favoreço sanções paralisantes, que façam as pessoas sofrerem".

 

Medvedev também se disse preocupado com que as ambições nucleares do Irã possam deslanchar uma corrida armamentista entre os países do Oriente Médio.

 

"Se todos esses países têm armas nucleares, isso abrirá uma nova página na história humana, que será muito triste", disse.

 

 Durante seu discurso, Medvedev também elogiou seu colega Barack Obama pela Conferência de Segurança Nuclear que organizou em Washington, e por melhorar as relações americanas com a Rússia.

 

Uma semana depois de Medvedev e Obama assinarem o novo Tratado de Redução de Armas Estratégicas (Start, na sigla em inglês, Medvedev louvou uma nova atmosfera entre Washington e Moscou e disse que a cooperação estava começando a dar resultados.

 

"A atmosfera mudou, e houve resultados diretos", disse. "E eu preciso dizer que estou agradecido em ter feito parte disso", completou, ao classificar a cúpula de Obama como um "sucesso completo".

 

Saiba mais

especialOs últimos eventos da crise nuclear

linkSaiba mais sobre o TNP

linkSaiba os pontos da declaração final da cúpula nuclear de Washington  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.