Medvedev critica declaração de independência de Kosovo

Presidente eleito da Rússia diz que medidas contrárias às resoluções da ONU prejudicam a paz e estabilidade

Agência Estado e Associated Press,

09 de abril de 2008 | 14h19

O presidente eleito da Rússia, Dmitry Medvedev, afirmou nesta quarta-feira, 9, que as resoluções das Nações Unidas devem ser respeitadas durante os esforços para solucionar disputas internacionais. A afirmação foi dirigida a Kosovo, província que declarou unilateralmente sua independência da Sérvia em fevereiro. Medvedev teve nesta quarta um encontro com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon. Foi a primeira visita do sul-coreano à Rússia desde sua posse, em janeiro de 2007.   Veja também: Parlamento de Kosovo aprova Constituição por unanimidade Medvedev promete avançar nas relações entre EUA e Rússia   O próximo líder russo também negou a existência de uma crise na ONU, apesar de divergências em anos recentes sobre reformas na entidade. "Nós achamos que toda essa conversa de crise nas Nações Unidas, desse tipo de problemas, isso não tem fundamento", afirmou. "Pelo contrário, as Nações Unidas devem fazer o que podem para apoiar e desenvolver seu espaço universal para coordenar os interesses", avaliou Medvedev.   "Qualquer tentativa de resolver problemas internacionais contrária às resoluções da ONU - como foi o caso de Kosovo ou em qualquer outro dos problemas atuais - são contraproducentes e infelizmente não contribuem para que se alcance a paz e a estabilidade", completou.   Kosovo declarou independência da Sérvia em 17 de fevereiro. Os Estados Unidos e diversas potências européias reconheceram a separação da província. Não há uma resolução da ONU que preveja a independência. Já a Rússia, aliada histórica da Sérvia, criticou duramente a medida e afirmou ainda que poderia reconhecer regiões separatistas em algumas das ex-repúblicas soviéticas.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaKosovoMedvedev

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.