Medvedev critica EUA e UE por sanções extras ao Irã

Países do Oriente Médio e do norte da África poderiam buscar a bomba atômica caso o Irã venha um dia a desenvolver armas nucleares, advertiu o presidente da Rússia, Dmitry Medvedev. Logo depois, ele criticou os Estados Unidos e a União Europeia (UE) por terem imposto sanções adicionais ao Irã depois de a Rússia ter apoiado, na semana passada, um pacote cuidadosamente negociado de sanções no âmbito do Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU).

AE, Agência Estado

17 de junho de 2010 | 18h38

"Há um par de anos isso teria sido impossível", comentou Medvedev sobre o apoio russo às sanções do CS da ONU. Ele observou que os EUA, ao contrário da Rússia e da China, nada têm a perder ao impor sanções ao Irã porque não mantêm nenhuma espécie de relação direta com a república islâmica.

Medvedev também manifestou a preocupação de que as sanções adicionais impostas nos últimos dias por EUA e UE venham a afetar a população civil iraniana. "Nós não concordamos com isso quando discutimos a resolução conjunta na ONU", declarou o líder russo. "Nós deveríamos agir coletivamente. Se o fizermos, obteremos os resultados desejados." As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.