Medvedev desafia Putin e diz que pode ser candidato

O premier russo, Vladimir Putin, e o presidente Dmitri Medvedev confirmaram ontem, em declarações separadas, que poderão concorrer à presidência do país em 2012 - no mais evidente sinal de tensão desde a chegada de Medvedev ao poder, em 2008. Nos últimos meses, cresceram os indícios de que Medvedev - considerado até então um presidente à sombra de Putin - está interessado em descolar-se da influência de seu antecessor e padrinho político.

AE, Agencia Estado

04 de dezembro de 2009 | 10h33

Entretanto, Putin negou que haja tensão entre os dois, mas disse que não pretende deixar a política tão cedo. Durante sua sessão anual de perguntas e respostas ao povo russo, transmitida ao vivo pela mídia estatal, o premier, com uma aparência segura e tranquila, disse ao entrevistador quando questionado se ele pretendia abandonar a política: "Espere sentado." Em seguida, Putin falou sobre a possibilidade de uma nova candidatura à presidência em 2012. "Vou pensar sobre isso. Ainda tenho muito tempo."

Menos de duas horas depois, em Roma, na Itália, onde está em visita oficial, Medvedev adotou um tom bem menos diplomático e praticamente se lançou candidato. "Se o primeiro-ministro Putin não exclui a sua candidatura, eu também não excluo a minha", afirmou. A afirmação foi a primeira declaração pública antagônica entre os dois líderes. Putin ocupou a presidência da Rússia de 2000 a 2008. Ao ser impedido constitucionalmente de se reeleger para um terceiro mandato, apoiou a candidatura de Medvedev, visto pelos russos como seu protegido político. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.