Medvedev discorda de Putin sobre modernização do país

O presidente russo, Dmitry Medvedev, disse hoje que seu país poderia se modernizar mais rápido do que pensa seu antecessor, Vladimir Putin. Medvedev não revelou, porém, se pretende buscar um segundo mandato. O presidente demonstrou uma clara diferença de opinião com seu poderoso primeiro-ministro, buscando projetar uma imagem de força e modernidade, com falas duras sobre política externa e assuntos domésticos. Medvedev falou em uma escola de negócios no subúrbio moscovita de Skolkovo. Foi a mais longa entrevista coletiva já concedida por ele.

AE, Agência Estado

18 de maio de 2011 | 10h31

Questionado sobre se a libertação do magnata do setor de petróleo Mikhail Khodorkovsky representa alguma ameaça para o povo, Medvedev afirmou que não há "absolutamente nenhum perigo", mas não disse que o perdoou. Liberais russos e ativistas pelos direitos humanos pedem que o presidente perdoe Khodorkovsky, cujo julgamento é visto como uma vingança de Putin pelo fato de o magnata desafiar o poder político e econômico do Kremlin. O caso maculou a imagem da Rússia no exterior. Putin já chamou Khodorkovsky de ladrão.

Medvedev disse hoje que sua visão sobre a modernização da Rússia difere da de Putin. "Ele acredita que a modernização é um movimento calmo, gradual", avaliou o presidente. "Mas eu acho que temos a chance e a força suficiente para conduzir essa modernização mais rapidamente."

O presidente russo enfatizou ainda que ele e Putin compartilham os mesmos objetivos estratégicos e abordagens similares na política. Putin deixou a presidência em 2008, após dois mandatos, quando não podia mais se reeleger. Porém ainda permanece como primeiro-ministro e é considerado o político mais poderoso do país.

Putin e Medvedev se mostram evasivos quanto a seus planos para as próximas eleições de março, dizendo que tratarão posteriormente desse tema, mas analistas acreditam que Putin deve concorrer. Medvedev disse hoje que ainda é muito cedo para anunciar seus planos. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.