Medvedev: morte de Bin Laden trará impacto à Rússia

O presidente da Rússia, Dmitry Medvedev, disse hoje que a morte do líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, pode impactar diretamente a segurança da Rússia e exigiu mais medidas de proteção das embaixadas dos outros países. "Alguns eventos no exterior podem refletir diretamente sobre nossos interesses e eventos dentro do nosso país", disse o presidente em um encontro sobre segurança, de acordo com a agência de notícias RIA Novosti.

AE, Agência Estado

11 de maio de 2011 | 16h00

"A eliminação dos terroristas - até mesmo pessoas em pé de igualdade com Bin Laden - tem efeito direto na segurança dentro da Rússia." Medvedev também pediu medidas de proteção extras a serem observadas em embaixadas e escritórios de representação estrangeira de empresas estatais.

O Kremlin emitiu uma nota formal no dia 2 de maio saudando a eliminação de Bin Laden pelas forças especiais americanas no Paquistão. No entanto, os comentários de Medvedev são os primeiros feitos em público sobre o assunto, no momento em que se espera que o líder russo discuta a operação quando visitar amanhã o presidente paquistanês, Asif Ali Zardari.

A Rússia tem relacionado a Al-Qaeda aos rebeldes que lutam contra as forças do governo nas repúblicas muçulmanas do norte do Cáucaso, e Medvedev fez esse paralelo novamente hoje. "Não é segredo que a rede terrorista da Al-Qaeda tem enviado e continua enviando seus emissários regularmente" à Rússia, disse o presidente.

Diário

Funcionários norte-americanos disseram hoje que Bin Laden mantinha um diário escrito à mão onde registrava planos e ideias de operações. O diário foi apreendido durante a operação norte-americana que levou à morte do líder da Al-Qaeda. O diário faz parte do conjunto de objetos apreendidos no local e que incluem cerca de cem pen drives e cinco computadores. O material foi levado pela força especial Seal, da Marinha norte-americana, que invadiu a residência de Bin Laden no Paquistão. Os funcionários falaram em condição de anonimato porque não têm autorização para falar sobre o que foi encontrado no esconderijo de Bin Laden.

O líder da Al-Qaeda era conhecido por registrar seus pensamentos e acreditava-se que mantinha um diário. Um dos filhos de Bin Laden escreveu em seu livro de memórias que seu pai costumava registrar seus pensamentos e planos. Bin Laden morreu no dia 2 de maio durante uma operação de forças norte-americanas em Abbottabad, cidade próxima da capital do Paquistão, Islamabad. O corpo do extremista foi jogado ao mar por tropas norte-americanas. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.