Medvedev quer apuração sobre espiões presos

O presidente russo, Dmitri Medvedev, confirmou ontem que um agente de alto escalão do serviço secreto do Kremlin foi o responsável pela prisão de dez espiões russos nos Estados Unidos, em junho. O líder cobrou investigações na agência de espionagem do país durante entrevista em Seul, na Coreia do Sul, onde participa do encontro de cúpula do G-20.

REUTERS e AP, O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2010 | 00h00

O jornal Kommersant publicou na quinta-feita que um espião identificado como "coronel Shcherbacov" foi para os EUA três dias antes da visita de Medvedev ao país em junho. As prisões ocorreram menos de uma semana após a viagem, o que levou representantes do Kremlin a sugerir que as detenções ocorreram por causa do interesse de conservadores em minar as relações entre Washington e Moscou.

"Para mim, a informação do Kommersand não é novidade. Eu sabia disso desde o dia em que (a detenção) ocorreu. Deveria haver uma investigação interna e lições deveriam ser tiradas", disse o presidente.

Em julho, os dez espiões foram deportados em troca de quatro russos que haviam sido presos por espionar o próprio país. Foi a maior troca de espiões registrada desde o fim da Guerra Fria. Os agentes foram recebidos como heróis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.