Melamina pode ter matado cerca de 1.500 cães na China

No noroeste da China, cerca de 1.500 cães-guaxinim morreram após comerem ração contaminada com melamina, informou um veterinário hoje. O mesmo produto químico foi responsável pelo escândalo do leite em pó chinês, que matou quatro bebês e deixou mais de 54 mil crianças doentes. Os cães-guaxinim - uma espécie nativa do leste asiático criada para a obtenção de sua pele - eram alimentados com um produto que continha melamina. Eles desenvolveram pedras nos rins, disse Zhang Wenkui, um professor de veterinária da Universidade de Agricultura de Shenyang. Todos os animais morreram em fazendas de apenas uma vila.Zhang contou que os bichos morreram de falência renal após a realização de necropsias em mais de uma dezena deles. Ele não quis informar quando as mortes ocorreram, mas um jornal noticiou hoje que elas aconteceram nos últimos dois meses. "Primeiro, nós encontramos melamina na comida dos animais. Em seguida, eu descobri que 25% das pedras nos rins dos cachorros eram feitas de melamina", afirmou Zhang, em entrevista por telefone.Não estava claro como a melamina foi parar no alimento dos animais. Segundo o veterinário, a empresa responsável pela ração negociava uma indenização com os criadores. O caso ocorreu na vila de Xishan, na província de Liaoning. Zhang não divulgou o nome da empresa, mas segundo o jornal trata-se da Harbin Hualong Feed. A companhia negou comentar o caso.A Austrália ordenou hoje a retirada de dois produtos das prateleiras, uma bebida com leite e um tipo de bolo. Foi encontrada melamina nos produtos - agora, sobem para seis o número de produtos chineses contaminados detectados pela Austrália.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.