Shawn Thew/EFE
Shawn Thew/EFE

Pesquisa aponta que Melania é mais popular que Trump nos EUA

Aprovação da primeira-dama é de 52%, enquanto a desaprovação bate 32%; cerca de 3% dos americanos disseram nunca ouvir falar nela

O Estado de S.Paulo

09 de março de 2017 | 04h04

WASHINGTON - A imagem da primeira-dama dos EUA, Melania Trump, é positiva para mais da metade dos cidadãos do país, nível superior à popularidade do seu marido, o presidente Donald Trump, segundo uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira, 9. 

A aprovação de Melania é de 52%, enquanto a desaprovação bate 32%. Cerca de 3% dos americanos disseram nunca ouvir falar nela. A pesquisa foi feita pela ORC Internacional, a pedido da emissora CNN.

Os números contrastam com os do marido, o presidente mais impopular dos últimos 50 anos em começo de governo. O republicano tem imagem negativa para 53% dos americanos e uma aprovação de 44%, segundo pesquisa sobre o tema divulgada pela ORC International no dia 3 de fevereiro.

Os 52% de aprovação da primeira-dama é 16 pontos porcentuais superior ao nível registrado há apenas um mês e meio, quando Trump tomou posse.

A eslovena Melania registra melhores porcentagens entre homens (58%) do que mulheres (46%). Ela também tem conta com mais simpatia dos republicanos (86%) do que dos democratas (22%).

No entanto, a ex-primeira-dama Michelle Obama registrava em abril de 2009, quando Barack Obama havia tomado posse há pouco mais de 60 dias, uma imagem positiva de 93% entre democratas e 50% entre republicanos. Ao deixar a Casa Branca, ela contava com popularidade próxima de 70%.

Após a vitória de Trump, Melania manteve sua residência em Nova York até que o filho do casal, Barron, termine o ano letivo, em junho. A decisão recebeu críticas tanto entre democratas quanto entre republicanos.

A ORC International realizou a pesquisa entre os dias 1º e 4 de março. Para o levantamento, que tem margem de erro de 3%, foram ouvidas 1.025 pessoas. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.