Membro da Al-Qaeda preso no sábado planejava novos atentados

O líder da rede terrorista Al-Qaedacapturado sábado no Paquistão, Khalid Shaikh Mohammed, estavaplanejando ativamente atentados contra locais comerciais nos EUAe alvos na Península Arábica, afirmaram nesta segunda-feira funcionáriosamericanos. Segundo altos funcionários citados pelas agênciasinternacionais e pela TV CNN, as autoridades encontraram umagrande quantidade de informações sobre a Al-Qaeda na casa dacidade de Rawalpindi onde Mohammed e outros dois suspeitos forampresos - incluindo computadores, celulares, disquetes e os nomesde possíveis agentes da rede terrorista, alguns dos quaisestariam em Washington e em outras cidades dos EUA. As fontes não revelaram em quantas cidades americanas haveriasupostos agentes terroristas. Informaram apenas que o FBI(polícia federal americana) já está tentando capturá-los, antes que tenhamtempo de transferir-se para outra parte. Embora analistasmilitares estimem que a captura de Mohammed - um kuwaitianofilho de paquistaneses apontado como número 3 da Al-Qaeda e principal planejador dos atentados de 11 de setembro de 2001 nosEUA - vá afetar seriamente a capacidade da Al-Qaeda de lançarataques, as autoridades temem que planos terroristas já preparados sejam acelerados por causa da prisão.Segundo Washington, foram, em parte, informações sobre asatividades de Mohammed que levaram as autoridades americanas adeterminar um "alerta laranja" que durou grande parte defevereiro. "Algumas das preocupações que nos levaram a elevar onível de ameaça surgiram por causa do trabalho de planejamentono qual ele (Mohammed) estava envolvido", assinalou osecretário de Segurança Interna dos EUA, Tom Ridge.Pelo terceiro dia seguido, Mohammed foi interrogado hoje, numlocal não revelado, por agentes americanos - que estão usando"todas as técnicas apropriadas" de interrogatório em busca deinformações que possam impedir ataques terroristas, assinalou umfuncionário.Hoje o presidente americano, George W. Bush, agradeceupublicamente ao presidente paquistanês, Pervez Musharraf, pelosesforços que levaram à captura de Mohammed, do paquistanês AhmedQuddus e de um terceiro suposto terrorista, aparentemente umsomali. No fim de semana, as autoridades do Paquistão detiveramtambém um oficial paquistanês suspeito de ligação com Mohammed,o major Adil Quddus, parente de Ahmed.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.