Membro da Cruz Vermelha é libertado no Iêmen

Um membro da Cruz Vermelha Internacional de origem francesa, sequestrado no Iêmen há quase três meses, foi libertado, segundo o porta-voz da instituição, Hicham Hassan. A Cruz Vermelha informa que o francês está em bom estado de saúde.

AGÊNCIA ESTADO, Agência Estado

14 de julho de 2012 | 17h00

Benjamin Malbrancke foi liberado por um grupo chamado Ansar al-Shari''a , na última sexta-feira, de acordo com Hassan, para quem ainda não está claro quem estava por trás do sequestro. O francês foi sequestrado na província costeira de Hudayda, enquanto rumava para o aeroporto local em um veículo da Cruz Vermelha. Estrangeiros têm sido alvos frequentes de sequestro por grupos tribais no Iêmen. Um braço da Al-Qaeda opera no país.

O presidente da França, Francois Hollande, disse, em comunicado, que estava aliviado pela liberação de Malbrancke. "Eu quero agradecer calorosamente todos aqueles que contribuíram para este final feliz, em particular o Comitê Internacional da Cruz Vermelha, no Iêmen, que está fazendo um trabalho essencial naquele país", afirmou Hollande.

"Eu condeno nos mais firmes termos aqueles que miram trabalhadores de serviços humanitários e colocam em perigo as populações para quem ajuda humanitária é indispensável". As informações são da Associated Press e Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
IêmenCruz Vermelha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.