Membro do "futuro governo" do Iraque renuncia

Um dos seis membros do hipotético futuro governo iraquiano, a estabelecer-se em caso de queda de Saddam Hussein, se negou a integrá-lo. O governo provisório colegiado foi formado numa reunião realizada em Salaheddin, na região autônoma curda ao norte do Iraque. A reunião foi um ?grande sucesso?, de acordo com Sami Abdel Rahman, membro do PDK, o Partido Democrático do Curdistão.?Resolvemos todas as nossas diferenças e estávamos de acordo na formação de um diretório colegiado de seis membros que seria o núcleo de um futuro governo? no caso de Saddam Hussein ser destituído no curso de uma guerra, disse Ramhan.Os seis membros são da oposição histórica a Saddam: Mulá Massud Barzani, do PDK, Jalala Talabani, da União Patriótica do Curdistão (UPK), Ahmed Chalabi, presidente do Conselho Nacional Iraquiano (CNI), Abdel Aziz al-Hakim, representante do Conselho Supremo da Revolução Islâmica no Iraque (principal movimento xiita), Iyad al Alaoui, do Acordo Nacional Iraquiano e Adnan Pachachi, independente.Este último, que já foi ministro das Relações Exteriores nos anos 60 e não estava presente à reunião, declarou, pouco após o anúncio, que não pretende tomar parte no diretório colegiado. ?Estou surpreso?, disse. ?Já havia informado aos demais sobre minhas objeções?.Pachachi, ex-embaixador perante a ONU e?, segundo fontes dos EUA, o escolhido de Washington para ser o governante provisório depois de Saddam.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.