Membros da Arca de Zoé pegam 8 anos de prisão na França

Os seis franceses da ONG Arca de Zoé condenados em dezembro no Chade a 8 anos de trabalhos forçados por tentativa de seqüestro de 103 crianças africanas tiveram ontem suas penas comutadas para 8 anos de prisão na França. Um tribunal de Paris assinalou que o total de anos determinado na sentença chadiana não pode ser alterado e um eventual indulto só poderia ser concedido pelo presidente do Chade. A sentença inicial foi adaptada à legislação francesa, porque esta não prevê pena de trabalhos forçados. A decisão do tribunal parisiense foi recebida com vaias por parentes dos condenados. A defesa anunciou que vai recorrer da decisão.Os seis franceses foram presos em outubro no Chade, quando tentavam deixar o país com as crianças. Eles alegaram que se tratava de órfãos do conflito de Darfur, região sudanesa vizinha ao Chade. Mas investigações mostraram que a maior parte das crianças era chadiana e vivia com pelo menos um de seus pais ou algum outro parente. Os franceses foram repatriados no mês passado, com a ajuda do presidente Nicolas Sarkozy.

AFP E EFE, O Estadao de S.Paulo

29 de janeiro de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.