Membros da Cruz Vermelha são sequestrados nas Filipinas

Italiano, suíço e filipino estavam a caminho do aeroporto, quando foram levados por homens armados

Efe,

15 de janeiro de 2009 | 05h35

Uma equipe do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, composta por um italiano, um suíço e um filipino, foi sequestrada nesta quinta-feira na ilha de Jolo, cerca de 980 quilômetros ao sul de Manila e palco de um conflito armado com separatistas muçulmanos. Fontes do Exército filipino disseram que os reféns são a suíça Andrea Notter, o italiano Eugenio Vagni e a filipina Jean Lacaba. "Os três deveriam ter embarcado no avião da SeaAir esta manhã, mas não se apresentaram. Estamos perseguindo os sequestradores neste momento", confirmou o chefe do Comando de Mindanao Ocidental, o tenente-general Nelson Allaga, à rede de televisão "GMA". Segundo fontes da Cruz Vermelha filipina, os três estavam a caminho do aeroporto quando foram interceptados por um veículo com homens armados. O motorista dos voluntários foi libertado e denunciou o sequestro às autoridades.

Tudo o que sabemos sobre:
FilipinasCruz Vermelhasequestro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.