Membros da Falun Gong são processados em Hong Kong

Dezesseis praticantes da seita Falun Gong - incluindo dois suíços - compareceram nesta segunda-feira diante de um tribunal de Hong Kong acusados de obstrução ao protestarem em março diante de escritórios chineses nesta cidade.No primeiro caso criminal contra membros da seita de meditação em Hong Kong, o procurador Robert Lee acusou os suspeitos de impedirem a passagem dos transeuntes com sua demonstração e criar uma potencial obstrução ao levantar uma faixa conclamando Pequim a parar com os assassinatos de seguidores da seita no país.Caso sejam considerados culpados, os membros da seita poderão ser condenados a penas de até dois anos de prisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.