Membros do IRA não querem ser fotografados. Paz emperra

Os chefes de governo da Irlanda e do Reino Unido, Bertie Ahern e Tony Blair, divulgaram hoje um plano detalhado para reviver o governo conjunto de protestantes e católicos na Irlanda do Norte - um processo de paz suspenso por conta de questões ainda não resolvidas quanto ao desarmamento do Exército Republicano Irlandês, o IRA. Ambos os líderes disseram que o acordo final está muito próximo, mas que o passo definitivo vem sendo bloqueado, em parte, porque o IRA se recusa a permitir a divulgação de fotos do desarmamento de seus membros. "Tendo chegado até aqui e feito tanto... Posso dizer que talvez esteja cansado da viagem, mas não desanimado", disse Blair. O primeiro-ministro britânico insistiu que líderes do Sinn Fein, braço político do IRA, concordaram que o exército republicano se desarmará por completo até o Natal. O premier irlandês, por seu lado, disse que não aceita a alegação do Sinn Fein, de que as fotografias dos membros do IRA entregando as armas seriam "humilhantes". Ahern afirmou que as fotografias "não têm nada a ver com rendição ou humilhação", mas representam uma forma de dotar as ações do IRA de "certeza e clareza".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.