Memória do 11 de Setembro esfria campanha nos EUA

O sétimo aniversário dos atentados de 11 de Setembro esfriará por um dia a disputa eleitoral entre os candidatos à Presidência dos Estados Unidos. O democrata Barack Obama e o republicano John McCain devem aparecer juntos hoje e aceitaram suspender a veiculação de propaganda política em homenagem aos quase 3.000 mortos nos atentados de sete anos atrás. Nenhum dos dois candidatos organizou atos políticos para hoje. Os ataques de 11 de Setembro transformaram os Estados Unidos em diversos aspectos. Um deles é que, a cada aniversário da tragédia, os candidatos a cargos públicos em campanha esforçam-se por fazer a homenagem mais adequada às vítimas do pior ataque já perpetrado contra a porção continental dos EUA.A expectativa é de que Obama e McCain visitem na tarde de hoje o marco zero de Nova York, onde antes erguiam-se as torres gêmeas do World Trade Center. Os dois prédios foram atingidos por aviões controlados por extremistas islâmicos e foi ali que ocorreu o maior número de mortes. Depois, eles se apresentarão em um fórum da Universidade de Columbia para manifestar suas posições sobre o serviço público.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.