Menem critica 3ª moeda e reitera que é candidato

O ex-presidente argentino Carlos Menem, confirmou nesta terça-feira, em Santiago, que será candidato à presidência nas eleições de 2003. ?Sim, com certeza?, respondeu Menem ao ser questionado sobre a candidatura, em declarações prestadas à Corporação de Televisão da Universidade Católica do Chile.Ele manifestou-se contra a criação de uma nova moeda argentina. ?Não existe possibilidade de se criar uma nova moeda?, ressaltou o ex-presidente, em entrevista ao jornal La Segunda, ao ser consultado sobre a intenção do presidente Adolfo Rodríguez Saá de colocar em circulação o ?argentino?, a partir de janeiro.Menem assegura que não ocorrerá desvalorização da moeda na Argentina. ? O peso continuará vigente.? Segundo ele, 80% da economia do país está dolarizada. ?É muito provável que, com o passar do tempo e à medida que o processo de integração da Alca avançar, o dólar passe a ser a moeda única.?Ao se referir às primeiras medidas do governo de Rodríguez Saá, Menem fez alguns comentários, mas não soube precisar quais delas teria tomado no lugar do atual presidente. ?Seria preciso aprimorar as medidas tomadas em 1989, quando apagamos o incêndio da hiperinflação, deixamos o país com um mercado financeiro de US$ 100 bilhões e reservas de US$ 33 bilhões, além de atingirmos um índice de desemprego similar ao do Chile.? Menem, que governou a Argentina como candidato peronista entre 1989 e 1999, viajou ao Chile em companhia da esposa, a chilena Cecilia Bolocco, para passar o Natal em Santiago.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.