Menem tem bens embargados pela justiça

O juiz federal argentino Jorge Urso decretou na noite desta quarta-feira o embargo geral dos bens do ex-presidente da república, Carlos Menem, detido em prisão domiciliar desde o último dia 7 de junho. As informações são da agência de notícias argentina Diários y Notícias (DyN). A medida do juiz deveu-se ao antigo mandatário ter-se declarado insolvente e, portanto, impossibilitado de entregar à justiça seus bens, no valor de três milhões de pesos. A medida havia sido determinada pelo magistrado no dia 4 de julho, quando foi aberto o processo contra o ex-presidente, acusado de chefiar um esquema de venda ilegal de armas para a Croácia e o Equador quando ainda era presidente, entre 1991 e 1995 - ele governou a Argentina por dez anos, de 1989 a 1999. O embargo dos bens de Menem, na capital argentina e na província de La Rioja, sua província natal, implica em seu impedimento de fazer qualquer operação comercial que envolva suas propriedades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.