Menem volta à Argentina e já pensa na Presidência

O ex-presidente da Argentina, Carlos Menem, confirmou em Santiago do Chile que voltará amanhã ao seu país, para iniciar a organização de uma frente de oposição ao governo Néstor Kirchner. Menem disse também que e se candidatará à presidência em 2007. Ele assegurou que a idade não é problema para suas pretensões políticas, já que na próxima eleição presidencial "terei apenas 77 anos e me sobram forças e ânimo".Menem, que reside há um ano no Chile com sua mulher, a ex-Miss Universo chilena Cecilia Bolocco, com quem teve em 2003 um filho, Máximo Saúl, enfrenta duas ações na Justiça argentina: uma por suposta corrupção durante seu governo e outra onde é acusado de manter uma conta bancária secreta na Suíça. Esses processos lhe valeram ordens de captura e pedidos de extradição, rechaçadas pela Justiça do Chile. O juiz federal Norberto Oyarbide, de Buenos Aires, a cargo de uma dessas causas, aceitou títulos de propriedade que familiares e pessoas ligadas a Menem dados para cobrir a fiança de três milhões de pesos (ao redor de um milhão de dólares) fixada para livrá-lo de prisão. Agora, ele pode voltar à Argentina sem risco de ser preso.O regresso de Menem a sua cidade natal, Anillaco, na província de La Rioja (noroeste), foi anunciado na semana passada em Buenos Aires por vários de seus assistentes. Uma vez notificado da aceitação da caução judicial, o ex-presidente se encarregou, em entrevista coletiva, de confirmar que retornará a seu país quarta-feira. A mulher e o filho se juntarão a ele na sexta-feira, mas depois toda a família voltará ao Chile para esperar o ano-novo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.