Menem volta a sugerir compra de dólares

O ex-presidente argentino Carlos Menem reiterou hoje os conselhos dados ontem para que os argentinos troquem seus pesos por dólares, alegando que o ministro da Economia estaria promovendo uma "desvalorização encoberta" ao introduzir o euro no sistema de conversibilidade. "Que os argentinos comprem dólares o mais rápido possível. Foi o que disse e sustento", disse Menem, em declarações à Rádio Mitre, rechaçando as críticas à sua posição, formuladas pelo presidente Fernando De La Rua, de Quebec.O ex-presidente também fez uma firme defesa do presidente do Banco Nación (o Banco Central argentino), Pedro Pou, que está em rota de colisão com o ministro da Economia Domingo Cavallo. Por sua vez, o vice-chefe do Gabinete Argentino, Armando Figueroa, denunciou hoje a existência de uma "trama política e econômica" contra o ministro da Economia, Domingo Cavallo, e contra o peso, a moeda nacional. Ameaça - Figueroa ameaçou revelar na próxima semana no Senado os nomes dos responsáveis pela campanha. Em entrevista concedida pela manhã no aeroporto internacional de Ezeiza, onde foi receber o ministro Cavallo que regressou de Londres, o vice-chefe do Gabinete assegurou que tem provas para fundamentar sua denúncia.Segundo Figueroa, o ministro "está obviamente preocupado" com o intenso nervosismo dos mercados que culminou ontem com a queda de 6,27% do Indice Merval (Bolsa de Valores) e elevou o risco do país para 1.047 pontos, o patamar mais alto desde 1991, quando foi implantado o regime de conversibilidade do peso. No entanto, ele frisou, Cavallo, que dará entrevista coletiva hoje, às 19h30, continua empenhado na implementação de medidas para tranquilizar os investidores e assegurar o funcionamento da economia argentina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.