Menina abandonada pode voltar à Nova Zelândia em dez dias

Avó tenta acelerar o retorno de Qian Xun Xue, deixada pelo pai em uma estação de trem na Austrália

Efe,

21 de setembro de 2007 | 13h41

A menina de três anos abandonada pelo pai em uma estação ferroviária em Melbourne, na Austrália, viajará dentro de uma semana à Nova Zelândia para se encontrar com a avó materna."Sou o membro mais próximo de sua família. Não tem ninguém além de mim. Anan (Annie Liu) era minha única filha e ela é minha única neta. Farei de tudo para poder cuidar dela", disse a avó, Liu Xiao Ping, que mora na China, à emissora de rádio ABC.O governo da Nova Zelândia busca pela via rápida a documentação para que a passagem da avó ao país seja emitida logo, para que possa buscar logo a neta."Esta deve ser uma situação traumática para ela, por isso lhe ofereceremos toda a ajuda possível e trabalharemos para que possa se reunir com a neta o mais rápido possível", disse Ruth Dyson, do Ministério da Família, da Juventude e da Infância da Nova Zelândia.A pequena Qian Xun Xue - que recebeu o apelido carinhoso da imprensa de "Pumpkin", por causa da roupa que usava quando foi abandonada - está sob os cuidados de uma família adotiva em Melbourne, onde parece lidar bem com a tragédia.Enquanto isso, a Polícia continua em busca do pai, que teria fugido para os Estados Unidos. Michael (Nain Zin) Xue, editor neozelandês de 54 anos que morava em Auckland e tinha antecedentes de violência doméstica, tirou a menina da Nova Zelândia em 13 de setembro e a levou a Melbourne, onde, dois dias depois, a abandonou em uma estação de trem.O circuito interno de câmeras da estação de Southern Cross registrou o momento em que o homem, que carregava uma mala, deixa a criança sozinha e caminha para pegar um avião para Los Angeles, nos Estados Unidos, onde foi confirmado que chegou no mesmo dia.Em 2000, Xue havia morado em Los Angeles, cidade onde a maioria da comunidade chinesa ou de origem chinesa reside nos subúrbios do leste.O inspetor neozelandês Dave Pearson afirmou nesta sexta à imprensa local que estuda a possibilidade de enviar agentes aos Estados Unidos para ajudar na prisão do pai. A Nova Zelândia emitiu na quinta-feira com uma ordem de captura, após receber a confirmação da morte da mãe, Annie (Anan) Liu, de 27 anos.AssassinatoO corpo da mulher estava no porta-malas de um carro estacionado na rua de Auckland onde a família morava."O que sabemos é que teve uma morte violenta antes de (o marido) deixar a Nova Zelândia em 13 de setembro", acrescentou Pearson em entrevista coletiva, sem esclarecer a causa da morte ou desmentir as informações publicadas nos Estados Unidos de que Annie teria sido espancada até morrer.A mulher, após tentar resolver o problema dos maus-tratos com ordens de proteção emitidas pela Polícia, optou pela separação há alguns meses e havia dado entrada em um centro de auxílio a mulheres vítimas da violência.A última vez que Annie foi vista com vida foi às 16h30 do dia 11 de setembro, quando foi buscar a filha em uma creche de Auckland.

Tudo o que sabemos sobre:
AustráliaQian Xun Xue

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.