Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Menina conta como foi sob os escombros, na Itália

"Ela me dava a mão, me apertava. Era uma mão quente, e não me senti nunca só, era a mão de minha professora", relatou Giovanna, de sete anos, depois de ter sido resgatada dos escombros da escola de San Giuliano di Puglia, no sul da Itália, que desmoronou no terremoto desta quinta-feira.A menina está internada em um leito do hospital de Larino, junto a outras seis crianças da escola cujos nomes estão na lista daqueles que "se encontram bem" e que deverão receber alta nas próximas semanas.Giovanna recebeu a notícia de que brevemente poderá regressar à escola, mas a criança não quer. "Nunca mais voltarei para lá, não quero voltar nunca mais à escola, não quero voltar mais a San Giuliano. Tenho muito medo", disse.Uma equipe de psicólogos chegará ainda nesta sexta ao hospital para ajudar as pequenas vítimas a trabalharem a tragédia pela qual passaram. "Minha professora me dizia para ficar tranqüila e, enquanto me apertava a mão, repetia que nós sairíamos dali. Mas ela estava completamente bloqueada, não podia se mexer", afirmou a menina."Me tiraram à noite" das ruínas da escola, disse Giovanna. "Um bombeiro me abraçou, escutei aplausos e alguém me disse que as câmaras da televisão também estavam ali", disse. "Foi horrível ali embaixo, mas, por sorte, tinha a professora do meu lado."Maria, a professora que ajudou Giovanna, também foi resgatada. Ela sofreu contusões nas mãos, mas deverá receber alta em breve.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.