Menina de Hong Kong pode ter sido vítima de leite adulterado

Supermercados de Hong Kong retiraramalgumas marcas de leite das prateleiras neste domingo, e umamenina de 3 anos, diagnosticada com uma pedra nos rins após terbebido o produto adulterado, supostamente é a primeira vítimanesse território de pânico que tomou conta do setor de saúde daChina. A Organização Mundial da Saúde (OMC) informou que estáajudando a China a investigar a contaminação de produtoslácteos por melamina, uma substância química que pode causarpedras no rins e provocar falência dos rins de crianças. Na semana passada, a China ordenou um exame dos produtoslácteos e o recolhimento em todo o país de itens suspeitos, emum escândalo de grande amplitude que matou quatro crianças edeixou milhares doentes. As autoridades sanitárias de Hong Kong disseram em umcomunicado que a menina, que havia consumido a marca de leiteYili nos últimos 15 meses, tem uma pedra renal. No entanto, ela não tinha nenhum sintoma de doença erecebeu alta do hospital no sábado. Alguns dos principais supermercados de Hong Kong recolheramo leite em pó da Nestlé das prateleiras depois que um jornalreportou que ele continha melamina, um componente rico emnitrogênio que pode ser adicionado a leite misturado com águapara ajudá-lo a passar pelas inspeções de qualidade. A medida foi um ato de precaução, disse Annie Sin,porta-voz da rede de supermercados Wellcome. A Nestlé, grupo alimentício suíço, disse estar confiante emque nenhum de seus produtos foram feitos com leite adulteradocom melamina. Testes feitos por laboratórios aprovados pelogoverno mostraram que o produto mencionado não continhamelamina, afirmou a empresa Mas o centro de segurança alimentar de Hong Kong disse quetestes posteriores mostraram que um outro produto, o NestleDairy Farm Pure Milk, continha a substância nociva. O centroafirmou que o produto estava sendo usado por fornecedores daempresa. "Com base no nível mínimo detectado, o consumo normal nãoacarretará grandes efeitos à saúde. No entanto, não éaconselhável o consumo desse produto lácteo por criançaspequenas", disse um porta-voz do centro de segurança alimentar. O centro pediu às redes de abastecimento que parem devender o produto e o recolham das prateleiras, afirmou oporta-voz. A Nestlé não quis fazer comentários sobre o relatório docentro. O Grupo Industrial Yili, o maior fabricante da China deleite em pó para crianças, e 19 outros produtores de laticíniosdisseram que vão ampliar a qualidade de seus produtos ecompensar as vítimas, segundo a mídia estatal. O órgão responsável pela fiscalização da qualidade do leitena China afirmou que aproximadamente 10 por cento de amostrasde leite e bebidas de iogurte de três grandes laticínioscontinham melamina potencialmente mortífera. (Reportagem de Jeffrey Hodgson, Edwin Chan e John Ruwitchem Hong Kong, Kirby Chien em Pequim, David Chance em KualaLumpur e Manny Mogato em Manila)

REUTERS

21 de setembro de 2008 | 13h48

Tudo o que sabemos sobre:
CHINALEITE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.