Menina é eletrocutada no Paquistão por amar homem 'errado'

Parentes de uma adolescente paquistanesa parecem tê-la eletrocutado por se apaixonar por um homem que a família não aprovava, disse a polícia neste domingo.

ZEESHAN HAIDER, REUTERS

23 de janeiro de 2011 | 15h12

Líderes locais e a família de Saima Bibi, de 17 anos, decidiram após um conselho de aldeia (chamado de "panchayat") que a punição por envergonhar a família deveria ser a morte.

"Há sinais de tortura e queimaduras em seu pescoço, suas costas e suas mãos, provavelmente causadas por eletrocussão", disse Zahoor Rabbani, policial do distrito de Bahawalpur, no leste do Paquistão, onde menina teria sido morta. Ele falou à Reuters pelo telefone.

O primeiro-ministro Yusuf Raza Gilani tomou conhecimento do "triste incidente da morte de uma menina por corrente elétrica às ordens do panchayat", e ordenou que a polícia submeta um relatório imediatamente, disse o gabinete paquistanês.

A morte de Saima parece ser o que é conhecido como "morte por honra", comum em áreas rurais onde, sob costumes tribais centenários, casar sem permissão dos parentes homens é considerado uma ofensa grave à honra da família.

Centenas de pessoas, especialmente mulheres, são mortas todo ano no Paquistão em nome da "honra", com a maioria das vítimas sendo de famílias pobres e rurais.

A Comissão de Direitos Humanos independente do Paquistão disse, em relatório recente, que ao menos 650 mulheres foram mortas dessa forma em 2009.

Tudo o que sabemos sobre:
PAQUISTAOMENINACHOQUE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.