Menina indonésia desaparecida em tsunami reencontra família após 10 anos

Raudhatul Jannah desapareceu quando tinha 4 anos após ser levada pelas águas; ela voltou para casa nesta semana

O Estado de S. Paulo

08 de agosto de 2014 | 17h03

BANDA ACEH, INDONÉSIA - Uma menina da Indonésia que foi dada como morta após desaparecer no tsunami que atingiu o país em 2004 reencontrou seus pais nesta semana, depois de passar 10 anos longe da família.

"É um milagre de Deus", afirmou na quinta-feira, 7, Jamaliah, de 42 anos, mãe de Raudhatul Jannah, hoje com 14. "Eu e meu marido estamos muito felizes por termos encontrado nossa filha." 

Raudhatul e seu irmão estavam na casa da família, no distrito de West Aceh, quando os dois foram levados pelas águas no dia 26 de dezembro de 2004. "Nós procuramos por eles em meio aos corpos, pilhas de corpos, mas não os encontramos", afirmou o pais dos jovens, Septi Rangkuti, de 52 anos. "Depois de um mês, nos resignamos e aceitamos a ideia de que eles provavelmente haviam morrido." 

No entanto, de acordo com a agência alemã de notícias DPA, há cerca de um mês o irmão de Jamaliah avistou na rua uma jovem muito parecida com sua sobrinha desaparecida. Alguns dias depois, a família descobriu que a menina morava com uma idosa nos arredores do distrito de Aceh Barat Daya. Raudhatul e sua família se reencontraram na última quarta-feira.

Para Jamaliah, não há dúvida de que a menina é mesmo sua filha. "Se alguém tiver dúvida, estou pronta para fazer exames de DNA", afirmou. 

De acordo com Raudhatul, é possível que seu irmão Arif Pratama, que hoje estaria com 17 anos, ainda esteja vivo. "Eu ouvi dizer que ele estaria morando nas Ilhas Banyak, mas não sei em qual vilarejo", disse a jovem se referindo a um conjunto de ilhas praticamente inabitadas a cerca de 40 quilômetros da costa oeste de Sumatra.

O tsunami que atingiu a Indonésia em 2004 foi causado por um terremoto na ilha de Sumatra e matou mais de 230 mil pessoas em 14 países. Apenas em Aceh foram mais de 170 mil vítimas.

Tudo o que sabemos sobre:
Indonéiatsunami

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.