Abdul Khaliq /AP
Abdul Khaliq /AP

Menina que acusa família de usá-la em atentado pede ajuda a Karzai

Autoridades da província de Helmand prenderam a menina na segunda-feira; irmão fugiu com colete-bomba

O Estado de S. Paulo,

08 de janeiro de 2014 | 17h03

CABUL - Uma afegã de dez anos que acusou seu irmão de tentar usá-la como menina-bomba pediu nesta quarta-feira que o presidente do país, Hamid Karzai lhe a ajude a encontrar uma casa nova para morar.

À agência Associated Press, a criança, chamada Spozhmai, disse temer voltar para sua família e ser persuadida a tentar cometer um atentado.

"Se eu voltar, eles vão fazer a mesma coisa e me fazer vestir o colete suicida", disse a menina. "Não quero ir."

Autoridades da província de Helmand prenderam a Spozhmai na segunda-feira em um posto policial. Segundo a polícia, o irmão dela fugiu com o colete suicida, mas planejava um atentado envolvendo a garota.

De acordo com o porta-voz do governo de Helmand, Omar Zawak, o caso está sendo tratado com muita cautela. "O governador indicou uma equipa para descobrir todos os detalhes", declarou. "O pai dela foi preso."

Karzai responsabilizou o Taleban pelo incidente, mas o grupo negou ter planejado o ataque frustrado. / AP

Tudo o que sabemos sobre:
Afeganistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.