Menina que não pode comer trigo tem comunhão anulada

Uma menina de oito anos que sofre de um problema digestivo que a impede de comer trigo teve sua primeira comunhão anulada, porque a hóstia não continha o grão, o que viola a doutrina católica. Agora, a mãe de Haley Waldman quer que a diocese de Trenton e o Vaticano abram uma exceção, dizendo que a doença da menina não deve ser usada para excluí-la dos sacramentos.A mãe diz que uma hóstia de arroz deveria bastar. ?Não se trata apenas de uma opção viável. Como isso poderia corromper a tradição da Última Ceia? É apenas arroz no lugar do trigo?, disse Elizabeth Pelly-Waldman. A doutrina da Igreja diz que a hóstia deve conter ao menos algum trigo sem levedura, e a liderança católica reluta em alterar o sacramento.?Não se trata de uma questão a ser determinada em nível paroquial ou diocesano, mas que já foi decidida pela Igreja Católica Romana em todo o mundo por meio da autoridade do Vaticano?, disse o bispo John M. Smith, em declaração emitida semana passada.A doença de Haley faz com que a menina se exponha a diversos riscos, incluindo câncer, se consumir glúten. A diocese informou a família que a menina pode receber uma hóstia com baixo conteúdo de glúten ou comungar em vinho, mas que uma hóstia totalmente desprovida de glúten é inválida.Este não é o primeiro caso do tipo registrado nos EUA. Em 2001, a família de uma menina de 5 anos que sofria da mesma condição abandonou o catolicismo por não poder usar hóstias de arroz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.