Reprodução
Reprodução

Menina síria que escreve sobre vida em Alepo no Twitter foi retirada da região

Bana Alabed tuíta junto a sua mãe sobre o cotidiano na cidade; ONG islâmica informou que menina fazia parte de um grupo que foi retirado nesta segunda-feira e agora está na região de Rashidin

O Estado de S.Paulo

19 Dezembro 2016 | 10h42

CILVEGÖZÜ, TURQUIA - A menina síria Bana Alabed, conhecida por seus tuítes sobre o cotidiano na cidade de Alepo, foi retirada junto a sua família durante o cessar-fogo decretado na cidade síria, indicaram ONGs nesta segunda-feira, 19.

Bana, de sete anos, "foi retirada nesta manhã de Alepo junto a sua família", indicou no Twitter a ONG islâmica turca IHH, que publicou uma foto mostrando a menina junto a um de seus funcionários.

"Formava parte do primeiro grupo que foi retirado nesta manhã e agora se encontra na região de Rashidin", uma zona campestre de Alepo, disse um porta-voz do IHH.

Ahmad Tarakji, chefe da ONG médica síria American Medical Society (SAMS), também anunciou no Twitter, com uma foto, a retirada da menina e sua chegada "com muitas outras crianças" ao campo de Alepo.

Desde setembro, Bana Alabed (@AlabedBana) tuitava junto a sua mãe sobre a vida em meio às bombas no leste de Alepo, cercado pelo regime sírio. Ela conta hoje com mais de 323 mil seguidores no Twitter.

Em um de seus últimos tuítes, no domingo, ela implorou ao presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, e ao seu ministro das Relações Exteriores, Mevlut Cavusoglu, que garantissem que o cessar-fogo apoiado por Turquia e Rússia funcionasse para que os habitantes dos bairros rebeldes fossem retirados. "Estamos tão cansados", escreveu ela.

Cavusoglu respondeu no Twitter: "Deve estar certa de que fazemos todo o necessário para te tirar daí, você e milhares de outros, para um lugar seguro". / AFP

 

Mais conteúdo sobre:
Síria Alepo Refugiado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.