Meninas castas da Suazilândia se oferecem para o rei

Cerca de 20 mil garotas supostamente castas do reino africano da Suazilândia dançaram hoje durante um ato onde tradicionalmente o rei escolhe a próxima noiva. Em um grande campo gramado, as meninas, algumas delas com 7 anos, dançaram e cantaram diante do rei suazi Mswati III, de 33 anos, e da mãe dele, a rainha Ntombi, no tradicional baile tribal. Mswati, que governa o pequeno reino desde 1986, já tem 10 esposas, mas pode se casar quantas vezes a imaginação real desejar. Frustrado com o altos índices de infecção do vírus HIV no país e descrevendo as adolescentes como "flores que precisam ser protegidas", Mswati decidiu restabelecer o tradicional rito de castidade, conhecido como umchwasho, no ano passado. O rito, no entanto, vai além da dança, e proíbe garotas solteiras com menos de 18 anos de praticar sexo. O costume é respeitado quase que unicamente nas áreas rurais. Durante a dança, as garotas cantam: "Obrigado, Majestade, por introduzir a franja (usada nos cabelos pelas meninas supostamente castas), nós somos as flores da nação. Nenhum garoto pode nos tocar." Depois de selecionada, a próxima noiva do rei viverá com a rainha-mãe até a realização do casamento real.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.