Menino baleado pela Swat portava arma de brinquedo

Cercado por uma equipe da Swat, Christopher David Penley, de 15 anos, entrou um box do banheiro da escola e ergueu o que, para as autoridades, parecia ser uma Beretta 9 mm. Instantes depois, um policial o atingiu com um tiro. Penley, internado em estado grave, portava o que se revelou depois ser uma pistola de brinquedo. Mais cedo, ele havia apontado a arma para outro estudante da Milwee Middle School, antes de cruzar o pátio e provocar o confronto no banheiro.Numa entrevista coletiva, após o tiroteio, os policiais colocaram a arma de Penley ao lado de uma Beretta real. O brinquedo tinha tinta preta cobrindo as marcas vermelhas do cano, que poderiam ter alertado as autoridades para sua verdadeira natureza. "Como vocês podem ver, não é preciso ser um profissional para ver como ela se parece com a arma verdadeira", disse Joyce Dawley, agente especial do Departamento de Polícia da Flórida.As pessoas que conheciam Penley dizem que o garoto era infeliz e sofria provocações dos colegas na escola. Segundo uma vizinha, ele já havia fugido de casa diversas vezes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.