Menino mutilado deseja sofrimento ao piloto que o atingiu

Um menino iraquiano de 13 anos que perdeu os dois braços e quase toda sua família durante os bombardeios promovidos pelos Estados Unidos contra o Iraque disse esperar que o piloto americano responsável por seu sofrimento "queime como eu fui queimado". Imagens de Ali Abbas chorando de dor em um hospital de Bagdá chamaram a atenção do mundo para seu sofrimento. Desde então, médicos britânicos projetaram braços mecânicos para o garoto. "Eu continuo me perguntando: Por que eles bombardeiam os iraquianos? O que nós fizemos a eles?", questionou Abbas durante entrevista à Independent Television que deverá ir ao ar na noite de hoje. "Espero que o piloto que atingiu nossa casa seja queimado da mesma forma como eu e minha família fomos queimados." Ele lembra de sua família tentando se esconder em casa enquanto os aviões de guerra americanos bombardeavam Bagdá e depois sendo parada pela polícia quando tentava chegar ao hospital. "Eles faziam perguntas como: Para onde estão indo? Quem é este? Quem é aquele?", recorda. "Então eu olhei para meus braços e vi que os tinha perdido. Eles disseram: ´É um caso perdido, um caso perdido.´" Abbas, atualmente sob os cuidados de um tio, foi levado de avião a um hospital no Kuwait e depois tralsadado para a Grã-Bretanha. Ele recebeu os braços mecânicos no Queen Mary´s Hospital, em Roehampton, sudoeste de Londres. Antes de voltar para casa, ele será submetido a terapia ocupacional. "Quero voltar para o Iraque e para minha família. Assim me sentirei melhor. Depois pensarei no que fazer."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.