Menino pode ter sido vítima de ritual assassino

Uma nova autópsia será feita em um menino de 5 anos de idade cujo tronco foi encontrado flutuando no rio Tâmisa, a fim de determinar se ele foi vítima de um ritual assassino, afirmou a polícia nesta sexta-feira. A polícia disse que novas provas sugerem que o menino pode ter sio vítima de um assassinato "múltiplo", de estilo africano, no qual as partes do cádaver são usadas em poções mágicas. A polícia afirmou que sete velas queimadas até a metade haviam sido encontradas nas margens do Tâmisa. As velas levavam inscrito o nome Fola Adeoye e estavam enroladas em um lençol branco. O nome Adekoye Jo Fola Adeoye estava escrito no lençol. "Sabemos com alguma segurança que as velas e o lençol são parte de um ritual", disse nesta sexta-feira o detetive e inspetor Will O´Reilly. "Não podemos dizer se eles estão ligados, mas no momento estamos ligando os dois fatos até que esta hipótese seja eliminada." Reilly afirmou que este seria o primeiro caso conhecido de um ritual de assassinato na Grã-Bretanha. O tronco do menino, que usava uma bermuda cor de laranja, foi encontrado perto da Ponte da Torre, em Londres, no dia 21 de setembro. A polícia acredita que o garoto tinha cerca de 5 anos de idade e era de origem africana.

Agencia Estado,

25 Janeiro 2002 | 18h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.