Mensagem do Papa pede perdão e paz

"O único caminho para a paz é o perdão", diante do cenário "inquietante" de povos "envolvidos uma violência sem fim", afirmou o papa João Paulo II em sua mensagem para a Quaresma, divulgada hoje pelo Vaticano. O pontífice também convidou cada cristão a "promover a paz, ainda quando se sentir vítima de quem injustamente o ofendeu ou agrediu". João Paulo II dedicou boa parte de sua mensagem à necessidade do perdão para solucionar os conflitos, tanto coletivos como individuais. O papa lançou ainda uma severa advertência aos "batizados" indiferentes à exigente lógica do Evangelho, e pediu aos cristãos generosidade suficiente para assumirem a responsabilidade pela "miséria presente no mundo" e a doação, "ao menos do supérfluo", a quem se encontra em dificuldades. "Os numerosos e trágicos conflitos que dilaceram a humanidade, às vezes surgidos da interpretação errônea de motivos religiosos, provocaram surtos de ódio e de violência entre povos e povos", disse o papa em sua mensagem. João Paulo II se referiu ainda ao "quadro inquietante" que se apresenta quando "os auspícios de paz, que se levantam em todas as partes do mundo, continuam sendo ineficazes" e não se consegue "o empenho necessário para a obtenção da desejada concórdia". "Os cristãos não podem permanecer indiferentes a isto" acrescentou o Santo Padre.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.