Mentor do 11 de setembro teria decapitado jornalista americano

Investigação conclui que condenados por crime não estariam no local quando da execução.

BBC Brasil, BBC

20 de janeiro de 2011 | 18h54

Mohammed foi capturado no Paquistão em 2003

Uma investigação concluiu que o homem considerado o então número três da Al-Qaeda e mentor dos ataques de 11 de setembro de 2001 nos EUA, Khalid Sheik Mohammed, teria decapitado o jornalista americano Daniel Pearl, em 2002.

A investigação conduzida pelo Pearl Project, um projeto da universidade de Georgetown que envolve jornalistas americanos, concluiu que os quatro homens condenados pelo assassinato não estavam presentes no local quando ocorreu o crime.

Pearl investigava o fundamentalismo islâmico para o jornal americano Wall Street Journal quando foi sequestrado no Paquistão em janeiro de 2002.

Um mês depois, um vídeo com o assassinato do repórter de 38 anos foi divulgado.

Alguns meses depois, um britânico de origem ascendência paquistanesa, Ahmed Omar Saeed Sheikh e três outros foram condenados pelo crime. Sheikh foi condenado a morte e os outros, a sentenças perpétuas.

Seus apelos às sentenças ainda não foram julgados.

Veias

O jornalista investigava o fundamentalismo islâmico em 2002

A investigação do Pearl Project concluiu que uma testemunha-chave no caso foi persuadida a mudar seu depoimento original, passando a afirmar que viu Sheikh em um restaurante próximo de onde o jornalista foi sequestrado, na cidade de Karachi.

Ele admitiu ter ajudado a capturar o jornalista, mas sempre negou estar em Karachi à época da execução.

O Pearl Project diz que investigadores americanos encontraram evidências que incriminam Khalid Sheikh Mohammed.

Uma técnica que compara veias sugere que as das mãos de Mohammed seriam idênticas ao do assassino de Pearl que aparece no vídeo.

Mohammed, detido no Paquistão em 2003 e mantido no centro de detenção de Guantánamo desde 2006, confessou o assassinato do jornalista, segundo documentos do Pentágono.

O corpo de Pearl foi encontrado em uma cova rasa em Karachi meses depois de sua morte.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.