'Mercador da morte' é sentenciado a 25 anos de prisão nos EUA

Viktor Bout, traficante de armas russo, serviu de inspiração para o filme 'O Senhor das Armas', com Nicolas Cage

NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

06 de abril de 2012 | 03h03

Um juiz americano sentenciou ontem a 25 anos de prisão o traficante de armas russo Viktor Bout, também conhecido como "mercador da morte", por conspiração para a venda de armamento às guerrilhas antiamericanas.

Bout, de 45 anos, ex-oficial da Força Aérea soviética, é acusado de vender armas a ditadores e grupos rebeldes nos mais sangrentos conflitos em todo o mundo. O traficante especializou-se em viabilizar remessas de armamento pesado de países do Leste da Europa para regiões em conflito da África.

Bout inspirou o personagem protagonizado por Nicolas Cage no filme O Senhor da Guerra, de 2005. Recentemente, ele acusou o longa de ter influenciado a opinião pública contra ele.

"Eles acreditam cegamente no que foi dito na mídia. E, apesar de todas as possibilidades no campo do direito, eles não podem dizer a verdade. E a verdade é muito simples: eu não cometi crimes e, portanto, sou inocente", disse Bout.

Em 2008, o traficante de armas russo foi preso em uma emboscada num hotel em Bangcoc, na Tailândia, depois de acertar, segundo as autoridades, a venda de milhões de dólares em armas para agentes americanos disfarçados que se passavam por rebeldes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Extradição. A prisão de Bout desencadeou um disputa ferrenha entre Washington e Moscou. Em 2010, ele foi e extraditado para os EUA dois anos depois - medida que enfureceu a Rússia, que não queria que ele fosse levado a julgamento por um tribunal americano.

Segundo o governo dos EUA, o russo dirigia uma rede de tráfico de armas que abrange África, Afeganistão e América do Sul. Ele é acusado de vender armas a um grupo terrorista e de conspiração para o assassinato de cidadãos americanos. Em novembro, ele foi condenado por um tribunal federal americano, mas havia recorrido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.