Laura Segall / AFP
Laura Segall / AFP

Mercedes-Benz de Hitler é leiloado

Veículo blindado que só era usado em ocasiões solenes será vendido no EUA

O Estado de S.Paulo

18 Janeiro 2018 | 05h00

O nome completo da máquina é Mercedes-Benz 770K Grosser Offener Tourenwagen. O ano de fabricação, 1939. O carro que foi levado ontem a leilão em Scottsdale, nos arredores de Phoenix, nos EUA, pertencia a Adolf Hitler. O modelo foi escolhido pelo regime nazista para marcar várias ocasiões solenes, como a parada militar em Berlim que comemorou a vitória sobre os franceses, em 1941. 

A Worldwide Auctioneers, casa de leilão responsável pela venda, espera arrecadar US$ 10 milhões com a Mercedes de Hitler – o nome do vencedor será anunciado em fevereiro. “É o veículo historicamente mais significativo já posto à venda”, garante a firma. 

+ Vinho de Hitler é oferecido em leilão na internet

No entanto, para não ser acusada de tentar glorificar o líder nazista, a casa pretende doar 10% do valor arrecadado para o Centro Simon Wiesenthal, uma das organizações judaicas mais importantes do mundo de defesa dos direitos humanos.

A história do carro, de placa 1A 148461, está meticulosamente documentada. Somente 88 exemplares do modelo foram produzidos na fábrica de Sindelfingen, nos arredores de Stuttgart, entre 1938 e 1945. 

Apenas cinco sobreviveram à 2.ª Guerra – além do que está nos EUA, que foi confiscado pelas tropas americanas, um exemplar está no museu da marca alemã e outros três pertencem a colecionadores privados.

Para os aficionados, o “Super-Mercedes” conversível, também conhecido como W150, é uma obra de arte. Ele tem seis metros de comprimento e pode acomodar até oito pessoas. Alimentado por um motor de oito cilindros e 7,7 litros, possui potência de 230 cv e alcança uma velocidade máxima de 160 km/h – números impressionantes para o início dos anos 40.

Adaptações. O modelo de série, no entanto, serviu apenas de base para o carro, que teve de ser adaptado para a segurança do Führer. As especificações exatas foram ditadas pelo motorista de Hitler, o oficial da SS Erich Kempka – o mesmo que mais tarde seria encarregado de queimar com gasolina o corpo de Hitler, no dia 30 de abril de 1945. 

Entre as adaptações feitas pelos nazistas, segundo documentos fornecidos pela Worldwide Auctioneers, estão os vidros de 40 mm e carroceria de aço de 18 mm de espessura, que eram responsáveis pela blindagem do automóvel. / AFP

Mais conteúdo sobre:
Mercedes-Benz Adolph Hitler leilão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.