Mercenários tentam audacioso golpe de Estado em nome dos EUA

Mercenários que, na manhã desta quarta-feira, tentaram dar um golpe de Estado nas ilhas Comores, fizeram-se passar por militares americanos à procura do terrorista Osama bin Laden. Mas o golpe foi frustrado por tropas do arquipélago, que, segundo um porta-voz oficial, mataram cinco dos atacantes. Assim que desembarcou na ilha de Moheli, o comando golpista distribuiu panfletos escritos em inglês, nos quais explicava à população que o grupo estava realizando uma operação militar dos EUA, com o objetivo de derrubar o regime no poder no arquipélago, porque este servia à rede Al-Qaeda. A referência a Bin Laden era apenas uma forma de esconder suas verdadeiras intenções, informou o porta-voz militar do pequeno país situado no Oceano Índico."Cinco corpos foram trazidos pelas tropas até Moroni (a capital do país)". "Eles eram mercenários e um deles parece ser romeno", disse Mahamout Soilih, secretário-geral para a Defesa no gabinete do presidente Azalil Assoumane. Ele acrescentou que um soldado comorense ficou ferido.Falando por telefone de Moroni, Soilih disse que ainda não foi esclarecido quem estava por trás da tentativa de golpe, promovida por um grupo de 15 a 20 homens. "Sejam eles quem forem, estavam tentando desestabilizar Comores, justo no momento em que estamos procurando uma solução pacífica para nossos problemas", disse ele. No domingo, haverá um referendo nas três ilhas que formam Comores. Se a proposta do referendo for aprovada, ela vai permitir maior autonomia entre as ilhas e o fim do governo militar no país.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.