Ariana Cubillos/AP
Ariana Cubillos/AP

Mercosul começa a definir prazos de adesão da Venezuela

Cúpula vai oficializar entrada do país no bloco na terça-feira, 31

Efe,

30 de julho de 2012 | 10h21

BRASÍLIA - Técnicos de Brasil, Argentina, Paraguai e Venezuela começam a definir nesta segunda-feira, 30, em Brasília os processos e os prazos da adesão do país caribenho ao Mercosul, que será oficializada na terça-feira em uma cúpula extraordinária do bloco regional, informaram neste domingo fontes oficiais.

Veja também:

linkChávez chega ao Brasil para selar adesão ao Mercosul

linkMercosul rejeita pedido paraguaio para anular suspensão

forum CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

A Cúpula de terça-feira dos presidentes do Mercosul e da Venezuela para carimbar politicamente a entrada desta última ao bloco será precedida por uma reunião de técnicos dos quatro países na manhã da segunda-feira e por uma de chanceleres na tarde, disseram fontes do Ministério das Relações Exteriores. "A reunião dos ministros de Exteriores será informal, mas a de técnicos será para começar a definir o processo formal de integração da Venezuela ao Mercosul", segundo a fonte consultada.

Na reunião de diplomatas será negociada uma agenda e uma metodologia para o grupo de trabalho criado para definir os aspectos técnicos do programa de liberação comercial que a Venezuela iniciará até chegar a um livre-comércio com os demais países do Mercosul.

Entre os temas que tal grupo técnico terá que definir também figura uma nomenclatura comum, já que Venezuela ainda tem para seu comércio a nomenclatura da Comunidade Andina (CAN), bloco que abandonou em abril de 2011. Igualmente serão negociados os prazos em que a Venezuela irá adotando a Tarifa Externa Comum (AEC) com o qual os membros do Mercosul taxam as importações procedentes de países de fosse do bloco.

Outro assunto a ser negociado pelo grupo técnico é a lista de produtos que a Venezuela poderá excetuar desse AEC, à qual cada país tem direito segundo suas necessidades e que no caso da Argentina e do Brasil é de até 200 itens. Segundo versões da imprensa, a Venezuela aspira a ter inicialmente amplas listas de exceção para poder proteger setores industriais que necessitam de um tempo para alcançar a competitividade que têm os dos países do Mercosul.

Segundo a Chancelaria brasileira, apesar dos presidentes da Argentina, Cristina Kirchner; Uruguai, José Mujica, e Venezuela, Hugo Chávez, devem chegar a Brasília na segunda-feira, a cúpula só começará às 9h45 de terça-feira, quando os três serão recebidos pela presidente Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto.

Após o encontro, os presidentes posarão para uma foto oficial e terão um almoço em Brasília. Na cúpula do Mercosul do dia 29 de junho na cidade argentina de Mendoza, os presidentes de Brasil, Argentina e Uruguai aprovaram a suspensão temporária do Paraguai do bloco por questionar o processo de cassação de Fernando Lugo como presidente desse país.

Igualmente deram sinal verde à entrada oficial da Venezuela ao Mercosul, que tinha sido aprovado há vários meses, mas que estava travado no Senado paraguaio.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.