Efe
Efe

Mercosul condena violência entre Israel e Palestina

Países do bloco também manifestaram apoio ao pedido da Autoridade Palestina para se tornar Estado observador da ONU

ANDREI NETTO, ENVIADO ESPECIAL, Agência Estado

17 de novembro de 2012 | 17h01

CÁDIZ - Os países do Mercosul anunciaram na tarde deste sábado, 17, na Espanha, a "mais firme condenação" à violência na Faixa de Gaza e o apoio à pretensão da Autoridade Palestina de tornar-se membro-observador da Organização das Nações Unidas (ONU). Uma declaração nesse sentido foi lida pelo ministro das Relações Exteriores do Brasil, Antonio Patriota, às margens da reunião de cúpula de países ibero-americanos.

O texto afirma que "os chefes de Estado do Mercosul expressam sua mais firme condenação à violência em curso entre Israel e Palestina, que vem se intensificando nas últimas horas". Os líderes políticos também "lamentam profundamente a perda de vidas humanas e manifestam sua preocupação com o uso desproporcional da força" e exortam as partes a cessar a violência, além de pedir ao Conselho de Segurança da ONU que "assuma plenamente suas responsabilidades".

A nota termina com a manifestação de "apoio à solicitação do Estado Palestino de adquirir status de membro observador da ONU". A pedido do Itamaraty, o documento será encaminhado pela missão brasileira em Nova York ao Conselho de Segurança.

Tudo o que sabemos sobre:
MercosulIsraelPalestinaGaza

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.