REUTERS/Enrique Marcarian
REUTERS/Enrique Marcarian

Mercosul convoca reunião para discutir aplicação da cláusula democrática contra a Venezuela

Aprovação da punição implicaria a suspensão da Venezuela do bloco e de todos seus benefícios, como a livre circulação de pessoas, união alfandegária e outros

O Estado de S.Paulo

24 de outubro de 2016 | 17h51

BUENOS AIRES - O Mercosul se reunirá nos próximos dias para discutir se aplicará a cláusula democrática do Protocolo de Ushuaia contra a Venezuela, depois de o governo de Nicolás Maduro suspender o referendo revogatório de seu mandato. O anúncio foi feito pelos presidentes do Uruguai, Tabaré Vásquez, e da Argentina, Maurício Macri, após uma reunião em Buenos Aires. 

"Com respeito à cláusula democrática, o Mercosul tem de se reunir para discutir o tema. O Uruguai estará presente e discutiremos isso com seriedade e responsabilidade", disse Vásquez.

"Estamos preocupado com a situação atual", afirmou Macri. "Do jeito que está, a Venezuela não pode fazer parte do Mercosul e tem de ser condenada por todos os países do continente e do mundo."

Brasil, Argentina e Paraguai articularam nos últimos meses para impedir que a Venezuela assumisse a presidência do bloco, como forma de criticar o governo Maduro, que na visão de Brasília, Assunção e Buenos Aires, não cumpriu as regras de adesão ao bloco. Reticente a aderir à punição, Montevidéu vinha mantendo-se mais neutro na discussão. 

A aprovação da cláusula pode implicar na suspensão da Venezuela do bloco e de todos seus benefícios, como a livre circulação de pessoas, união alfandegária e outros. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.