Mercosul pede retomada do processo de paz na Colômbia

O Ministério das Relações Exteriores distribuiu, nesta quinta-feira à noite, declaração conjunta em que os países-membros do Mercosul, a Bolívia e o Chile manifestam preocupação diante dos acontecimentos que levaram o governo da Colômbia a suspender o diálogo com o movimento guerrilheiro Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e a bombardear áreas por ele ocupadas. A decisão foi tomada pelo governo colombiano depois que os guerrilheiros seqüestraram um avião comercial com 37 pessoas a bordo. Na declaração, divulgada também pela Secretaria Pro Tempore do Mercosul, em Buenos Aires, os seis países expressam sua ?esperança de que se restabeleçam, o mais rapidamente possível, condições que permitam retomar os caminhos que assegurem a paz e a tranqüilidade da nação colombiana?.É a seguinte a íntegra da declaração conjunta: ?Os governos de Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai expressam sua grave preocupação diante dos recentes acontecimentos e atos de violência que levaram o governo da Colômbia a interromper o processo de paz com as Farc. Reafirmam seu apoio ao governo constitucional e democrático do presidente Andrés Pastrana e sua solidariedade com o povo colombiano e fazem um fervoroso chamado a que se respeitem integralmente os direitos humanos e os princípios do direito humanitário internacional. Expressam a esperança de que se estabeleçam, o mais rapidamente possível, condições que permitam retomar os caminhos que assegurem a paz e a tranqüilidade da nação colombiana.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.