Reuters
Reuters

Mergulhadores buscam corpos na fuselagem do avião da AirAsia

Corpo da aeronave será retirada do fundo do mar depois que as buscas pelos cadáveres das vítimas do acidente se esgotarem

O Estado de S. Paulo

15 de janeiro de 2015 | 12h34

JACARTA - Mergulhadores da Marinha da Indonésia tentavam nesta quinta-feira, 15, encontrar corpos que possam estar possivelmente presos no interior da fuselagem do Airbus da AirAsia, que caiu no Mar de Java em 28 de dezembro.

O chefe da Agência Nacional de Busca e Resgate indonésia, Henry Bambang Soelistyo, disse que a fuselagem, localizada na quarta-feira por um navio da Marinha de Cingapura, será retirada do fundo do mar depois que as buscas por corpos não for mais considerada eficiente.

A fuselagem, que mede 30 metros de comprimento, com uma asa ainda presa, foi avistada no fundo do Mar de Java. Equipes de busca acreditam que a maior parte dos corpos das 162 pessoas que estavam a bordo continuem no interior do compartimento.

Até agora, apenas 50 corpos foram recuperados. A aeronave voava de Surabaya, na Indonésia, para Cingapura. A maior parte das vítimas era indonésia.

Pelo menos 15 mergulhadores desceram até o fundo do mar, a uma profundidade de 28 metros, para examinar os destroços do avião, calcular seu peso e procurar corpos. Quando os corpos forem encontrados, os mergulhadores tentarão colocá-los em sacos individuais, que serão levados à superfície por pessoas que estão nos barcos, disse Suryadi Bambang Supriyadi, diretor operacional da Agência Nacional de Busca e Resgate. Segundo ele, aparentemente algumas partes da fuselagem estão coberta com lodo.

As caixas pretas do avião - com os dados do voo e gravações da cabine - foram recuperadas na segunda e terça-feira. Elas devem conter informações importantes para explicar o que causou a queda da aeronave.

Nove aviões e dez navios, dentre eles um da China, estão envolvidos nas buscas realizadas nesta quinta-feira. Dois navios americanos e um de Cingapura deixaram a região da missão, informou Soelityo. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.