AP Photo
AP Photo

Mergulhadores que encontraram grupo em caverna na Tailândia são experientes em resgates difíceis

Rick Stanton e John Volanthen ajudaram em 2010 a localizar John Volanthen, espeleólogo que ficou preso na região de Ardeche, no sul da França

O Estado de S.Paulo

03 Julho 2018 | 11h13

LONDRES - Dois dos três mergulhadores voluntários britânicos que ajudaram a encontrar um time de futebol infantil preso em um complexo de cavernas na Tailândia têm um histórico de resgates difíceis em todo o mundo.

+ Chuvas ameaçam dificultar resgate de grupo preso em caverna na Tailândia

+ Os principais resgates de pessoas soterradas nos últimos 20 anos

Rick Stanton e John Volanthen, que trabalham como bombeiro e engenheiro de computação, respectivamente, percorreram um longo e sinuoso caminho através das cavernas inundadas para encontrar os 12 meninos e seu treinador, dez dias depois de terem desaparecido.

+ Grupo preso em caverna inundada na Tailândia terá aulas de mergulho para ajudar no resgate

+ Vídeo mostra momento em que adolescentes são encontrados em caverna na Tailândia

"Os mergulhadores britânicos Rick e John lideraram" a equipe de busca, indicou Bill Whitehouse, do Conselho de Resgate em Cavernas, uma associação britânica de equipes de resgate nacional. "Eles conseguiram mergulhar na última seção e entrar na câmara onde os desaparecidos estavam em uma saliência acima da água.

Whitehouse falou brevemente com a equipe, que incluiu um terceiro britânico, Robert Harper, e outros especialistas internacionais e tailandeses, e descreveu as dificuldades da busca. "Eles mergulharam no sistema (de cavernas) e tiveram de nadar contra a corrente ou se agarrando às paredes", explicou à emissora britânica BBC.

"Parece-me que o trecho de mergulho foi de cerca de 1,5 km, metade dele completamente inundado", informou Whitehouse, acrescentando que o tempo de mergulho foi de cerca de três horas.

Stanton, um bombeiro de Coventry, no centro da Inglaterra, e Volanthen, engenheiro de computação de Bristol, no sudoeste do país, não são novatos em mergulhos difíceis. Stanton, que tem cerca de 50 anos, explicou a um jornal local em 2012 que sua maior conquista foi resgatar seis soldados britânicos presos em cavernas no México.

Ele e Volanthen também ajudaram em 2010 a encontrar Eric Establie, um experiente espeleólogo francês que ficou preso na região de Ardeche, no sul da França. Lamentavelmente, Establie faleceu.

"Todas as missões de resgate em cavernas são bastante impressionantes, mas o mais desafiador foi o da França", disse Stanton na entrevista, por ocasião de sua condecoração pela rainha Elizabeth II.

"Eu e outro mergulhador ficamos lá por 10 dias e foi muito estressante o tempo todo. Foi um mergulho muito perigoso e uma caverna muito perigosa", acrescentou. Naquele momento, ele insistiu que o mergulho em cavernas era apenas um hobby que começou aos 18 anos, depois de assistir a um documentário na televisão.

Na Tailândia, a equipe tem evitado falar com a imprensa, e Volanthen se limitou a dizer aos jornalistas que "temos um trabalho a fazer" quando chegou ao local. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.