Merkel cancela viagem à Tunísia por causa de protestos

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, cancelou nesta quinta-feira uma viagem para a Tunísia agendada para o próximo mês. A imprensa local reporta que o motivo foi os temores causados pelos recentes distúrbios violentos em países árabes. A decisão foi em "comum acordo" com o governo tunisiano, disse o porta-voz do governo.

AE, Agência Estado

27 de setembro de 2012 | 10h41

O presidente da Tunísia, Hamadi Jebali, visitou Berlim em março e Merkel reafirmou o apoio da Alemanha ao desenvolvimento da democracia no país africano.

Na quarta-feira, Merkel disse para integrantes de seu partido que o Islã é parte da sociedade alemã e pediu tolerância religiosa mútua. "Os tempos mudaram desde que praticamente não existiam muçulmanos na Alemanha", disse a primeira-ministra, referindo-se aos mais de quatro milhões de muçulmanos que existem no país.

Ela acrescentou que os protestos violentos contra o vídeo que ridiculariza o profeta Maomé não podem servir de desculpa para preconceito. "Os extremistas não são o Islã na Alemanha", disse Merkel. "É preciso cuidado para não colocar todos no mesmo barco". As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
AlemanhaMerkeltunísia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.