EFE/Philippe Wojazer
EFE/Philippe Wojazer

Merkel debate com Hollande União Europeia pós-Brexit

O mapa do caminho é uma proposta franco-alemã que será levada aos demais líderes políticos do bloco para discussão nos próximos meses

Andrei Netto CORRESPONDENTE / PARIS, O Estado de S. Paulo

15 de setembro de 2016 | 21h01

O presidente da França, François Hollande, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, traçaram nesta quinta-feira, 15, em Paris, a proposta comum de um mapa do caminho para a União Europeia (UE) após a saída do Reino Unido do bloco. 

A reunião bilateral foi realizada no Palácio do Eliseu na véspera da cúpula de 27 chefes de Estado e de governo que será realizada em Bratislava, na Eslováquia, para discutir as consequências do “Brexit”. No acordo estão investimentos na economia digital para combater o desemprego, além de reforço das políticas de segurança nas fronteiras.

O mapa do caminho é uma proposta franco-alemã que será levada aos demais líderes políticos do bloco para discussão nos próximos meses. O objetivo é estabelecer três eixos maiores que orientarão a integração europeia nos próximos anos, de forma a enfrentar o risco de desintegração do bloco. 

Uma das prioridades é a aceleração do crescimento e a redução do índice de 8% de desemprego. “A Europa deve ter um grande projeto para que possamos ser mais fortes juntos”, afirmou o presidente francês, em pronunciamento ao lado da chanceler. 

O segundo eixo de investimentos será a segurança interna. Confrontado pela crise migratória e pelo terrorismo, patrocinado pelo grupo jihadista Estado Islâmico, François Hollande vem insistindo no reforço das fronteiras, com a criação de uma Guarda de Fronteiras e uma Guarda Costeira comuns. 

O terceiro ponto é o reforço da integração em educação, pesquisa e cultura, como o sistema de intercâmbios Erasmus, que promove troca entre países. A convicção de Hollande e Merkel é de que o programa reflete “valores europeus” e precisa ser ampliado.

Tudo o que sabemos sobre:
AlemanhaFrança

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.