Merkel discutirá com Bush, em Washington, o caso iraniano

A chanceler alemã, Angela Merkel, se reunirá na quarta-feira em Washington com o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, para tratar, entre outros assuntos, do conflito aberto pelo Irã ao se negar a abandonar seu programa de enriquecimento de urânio.Segundo adiantaram fontes do Governo nesta terça-feira, Merkel insistirá, em sua conversa de uma hora no salão oval da Casa Branca, na necessidade de a comunidade internacional se manter unida e de os passos a serem dados para resolver a crise iraniana resultarem do consenso.Merkel proporá a Bush que evite estabelecer um diálogo direto com Teerã, como solicitou o diretor do Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Mohamed ElBaradei, há algumas semanas, mas que em vez disso adote uma política de passos calculados.As fontes do Executivo alemão não disseram em que direção devem ser dados esses passos, pois a situação está em constante mudança, disseram, e também não deixaram claro se esses gestos seriam acompanhados de sanções.Sanções As mesmas fontes deixaram entrever, no entanto, que a Alemanha não colocaria objeções às sanções diplomáticas - como a restrição às viagens de membros do Governo iraniano -, mas sim às de caráter econômico.O Governo alemão, ao contrário dos Estados Unidos, rejeita, além disso, o uso da opção militar.Segundo as fontes, Merkel não é favorável à aplicação de medidas de isolamento, mas sim de criar, mediante o diálogo, circunstâncias que convençam o Irã dos benefícios que obteria através de um pacto com a comunidade internacional, embora tenham lembrado que a Alemanha não faz parte do Conselho de Segurança da ONU, e que, portanto, não participará da negociação e votação de uma eventual resolução.Após o encontro com Bush, ao qual se seguirá um jantar com altos funcionários do Governo americano, Merkel viajará a Nova York na quinta-feira, para participar de um encontro entre empresários alemães e americanos.Assistirão ao ato os presidentes e altos executivos da Siemens, Thyssen, DaimlerChrysler, Motorola, General Electric, Monsanto e Hewlett Packard, entre outros, com o objetivo de aprofundar as relações econômicas entre os dois países.Merkel voltará a Washington para juntar-se à celebração do centenário da fundação do Comitê Judeu Americano, evento ao qual também assistirão Bush e o líder trabalhista israelense Shimon Peres, representando o primeiro-ministro designado, Ehud Olmert.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.