Merkel promete milhões de euros para proteção de florestas

A Alemanha prometeu 500 milhõesde euros (786,2 milhões de reais) até 2012 para a proteção deflorestas no mundo, o que segundo ativistas pode estimular asdiscussões na ONU sobre a preservação da biodiversidade global. A chanceler (primeira-ministra) Angela Merkel, elogiadapelos ambientalistas por seu empenho no ano passado pela adoçãode metas climáticas na União Européia e G8, assumiu essecompromisso diante de uma conferência da ONU em Bonn, com apresença de 191 países. O evento de 12 dias termina nasexta-feira. Estudos da ONU dizem que o planeta enfrenta seu pior surtode extinções desde o fim dos dinossauros, há 65 milhões deanos. Os especialistas reunidos em Bonn buscam formas dedesacelerar o ritmo da extinção de plantas e animais. Os políticos passaram a levar a biodiversidade mais a sériodevido ao aumento no preço dos alimentos, vinculado a váriosfatores, como o aumento da demanda na Ásia e o uso intensivo deterras para a produção de biocombustíveis. Especialistas dizem que os cultivos agrícolas podem seressentir da extinção de espécies selvagens. "Estamos prontos a assumir a responsabilidade", disseMerkel. "Estamos prontos para fazer tudo o que pudermos parasalvaguardar as riquezas da nossa Terra e a fundação da vidapara a humanidade", disse ela, acrescentando que cerca de 150variedades animais e vegetais desaparecem a cada dia. Ela disse aos delegados que a Alemanha, maior economia daEuropa, vai gastar 500 milhões de euros adicionais numa rede deflorestas protegidas até 2012. Depois disso, o país vai ampliaros gastos dos atuais 200 milhões por ano para 500 milhões. Cerca de 20 por cento das emissões mundiais de gases doefeito estufa vêm da destruição de florestas, dizem osespecialistas. Pagar para que camponeses de países emdesenvolvimento protejam as florestas é uma das soluçõesapontadas pelos técnicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.