Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Etienne Laurent/P
Etienne Laurent/P

Merkel promete que Alemanha lutará contra o EI

Ela foi recebida por François Hollande, em Paris; os dois líderes visitaram a região de Praça da República, perto dos locais dos atentados do dia 13

Andrei Netto/Correspondente - Paris , O Estado de S. Paulo

26 de novembro de 2015 | 02h00

Em meio à maratona diplomática, o presidente da França, François Hollande, recebeu ontem em Paris a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, para discutir o combate ao terrorismo e a crise dos refugiados. Os dois líderes visitaram a região de Praça da República, perto dos locais dos atentados do dia 13 em Paris. 

Durante a visita, Merkel anunciou que Berlim enviará 650 soldados ao Mali para reforçar a luta contra organizações jihadistas no país, hoje comandada pela França. Hollande exortou ainda a chanceler a se juntar à luta contra o Estado Islâmico na Síria e no Iraque. “Reagiremos rapidamente, pois queremos lutar contra o terrorismo. Essa é nossa missão, nosso dever, o de reagir com determinação”, disse Merkel, abrindo a porta para uma intervenção militar: “Não vamos vencer o Daesh (EI) com palavras. Será necessário meios militares”. 

Além de apoio no combate ao terrorismo, a França também pediu o endurecimento do controle imigratório nas fronteiras exteriores da União Europeia, segundo informou o premiê francês, Manuel Valls. O objetivo é recobrar o controle de fronteiras, aliviar a pressão contra o Tratado de Schengen e estabilizar o risco de atentados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.