Merkel rebate críticas feitas por Helmut Kohl

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, tentou nesta quinta-feira desarmar as críticas feitas por Helmut Kohl, ícone conservador da União Democrata-Cristã (CDU, na sigla em alemão), o mesmo partido de centro-direita da premiê. Merkel disse ao jornal Bild que os serviços que Kohl prestou à unidade europeia não podem ser superestimados. Kohl foi chanceler da Alemanha entre 1992 e 1998 e governou o país durante o período mais difícil da reunificação.

AE, Agência Estado

25 de agosto de 2011 | 15h13

Em entrevista publicada nesta semana no jornal International Politik, Kohl, com 81 anos, declarou que "a Alemanha, há alguns anos, não é mais previsível - tanto dentro de casa quanto fora". Kohl notou que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, visitou a França e a Polônia em maio deste ano, mas não a Alemanha.

"Após tudo o que alemães e norte-americanos viveram juntos e tudo o que nos liga até hoje, eu nunca me permitiria sonhar que um presidente americano em mandato viria à Europa e apenas sobrevoaria território alemão", ele disse. "Nós precisamos tomar cuidado e não apostar tudo o que ganhamos", disse Kohl. "Precisamos voltar à velha confiança. Precisamos deixar claro onde estamos e onde queremos ir, para que todos possam ver, precisamos deixar claro que sabemos a onde pertencemos", disse Kohl.

"Eu me pergunto onde a Alemanha está hoje e aonde deseja ir", disse o velho líder. As críticas de Kohl e sua perplexidade com a crise financeira na zona do euro não foram as únicas. Na quarta-feira, o presidente Christian Wulff, outro democrata-cristão alemão, criticou a administração da crise europeia pela Alemanha.

As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
AlemanhapolíticaMerkelHelmut Kohl

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.